Isentos de visto, EUA recomendam a turistas no Brasil ‘cautela aumentada’.

Dispensados de vistos para seus cidadãos a partir de 17 de junho, em medida anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) ontem, os Estados Unidos recomendam a seus viajantes que “exerçam cautela aumentada no Brasil devido ao crime”.

A isenção de visto para turismo e negócios, que se estenderá também a canadenses, australianos e japoneses, tem como objetivo aumentar o fluxo de turistas no Brasil, segundo o Ministério do Turismo.

Segundo os últimos dados compilados pelo ministério do Turismo, de 2017, os EUA são o segundo maior emissor de turistas para o Brasil – 475 mil viajantes, atrás dos argentinos (2,2 milhões de turistas).

Pior do que Argentina, melhor do que a Venezuela

O Brasil é classificado na categoria 2 de risco para viajantes pelo escritório de assuntos consulares dos EUA, numa escala que vai de 1 (“exerça precauções normais”) a 4 (“não viaje”).

Países próximos, como a Argentina, o Chile e o Uruguai, que também dispensam os turistas americanos de vistos, estão na categoria 1. Além do Brasil, fazem parte da categoria 2 países na região como Colômbia e México. A Venezuela faz parte da lista de países em que a viagem não é recomendada.

“O Brasil não deixa de receber turistas só por causa de visto, mas também por causa de problemas estruturais, como a questão de segurança pública, uma infraestrura de baixa qualidade, da falta de profissionais nos setores de serviços, hotéis e restaurantes que falam inglês e outros idiomas”, disse o professor de relações internacionais da Uerj, Maurício Santoro.

Envie para os amigos Whatsapp Whatsapp Facebook