A história do Brasil é rica, abrangente e repleta de contradições. Desenvolver uma narrativa que aborde os detalhes sobre a conquista e a colonização do território brasileiro não é tarefa fácil.

O que é difícil para os historiadores pode ser fácil para os viajantes: ao passear pelas ruazinhas de pedra e casinhas bem conservadas de algumas cidades históricas, é natural sentirmos transportados para o período colonial.

É normal perceber que o tempo ali simplesmente parou, e fica mais fácil de entender todas as implicações históricas que fizeram estas cidadezinhas erguerem-se (normalmente, isso acontecia por causa dos interesses de exploração de minérios, como ouro e diamante) e estancarem no tempo (com o término da exploração desses recursos naturais).

Abaixo, uma seleção de cidades históricas brasileiras que ainda guardam o único tesouro que sobrou: a história. Perfeitas para quem não dispensa roteiros culturais, sem abrir mão de muito charme.

REGIÃO SUDESTE

1. Ouro Preto, Minas Gerais


O conjunto arquitetônico da cidade é tão impressionante que não deu outra escolha: foi tombado como Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco. Suas ruas bem conservadas encantam universitários, que se acumulam entre repúblicas estudantis e agitam as ruas durante o Carnaval. As boas atrações incluem um passeio de trem até a cidade de Mariana, festivais completos e, é claro, igrejas que impressionam por sua riqueza arquitetônica – como a Igreja N. S. Do Carmo e a Igreja Matriz de N. S. Do Pilar.

2. São João Del Rei, Minas Gerais

A colonização portuguesa fica bem nítida nessa cidade, sobretudo no Centro Histórico – marcado por casas coloniais e a Ponte da Cadeia. Por aqui, o comércio é bem movimentado e valorizado. Igrejas também estão entre os roteiros favoritos dos visitantes, como a de Nossa Senhora das Mercês (foto) e São Francisco de Assis. Sua ferrovia, que nunca parou de funcionar desde a inauguração, está entre as mais antigas e bem conservadas do país, conduzindo a passeios charmosos até cidades vizinhas.

3. Tiradentes, Minas Gerais

Antiga Vila de São José do Rio das Mortes, pertencente ao Ciclo do Ouro no Estado, Tiradentes é uma das cidades históricas mais bem conservadas do país. O destino valoriza muito o turismo religioso, com igrejas bem conservadas e o Museu da Liturgia. Mas não é só isso que chama a atenção: o passeio de charrete por suas ruas de pedras encanta famílias com crianças. Seu forte, no entanto, é na gastronomia, com restaurantes estrelados e repletos de pratos bem elaborados que valorizam a culinária mineira – como o Pau de Angu.

4. Mariana, Minas Gerais

Vizinha de Ouro Preto, Mariana foi a primeira vila do estado, a primeira capital e, de quebra, a cidade mais rica do Ciclo do Ouro. Suas belas igrejas atraem os turistas, como as de São Francisco de Assis (à esquerda) e a de Nossa Senhora do Carmo. Vale esticar a viagem até a Catedral Basílica da Sé, que abriga um órgão alemão com mais de mil tubos ainda em funcionamento, e a mina da Passagem, cercada por bons restaurantes. O desastre ambiental causado pela mineradora Samarco, em novembro de 2015, não danificou o centro histórico da cidade – mas atingiu igrejas, trechos da Estrada Real e alguns monumentos de vilas e distritos próximos.

5. Petrópolis, Rio de Janeiro

O clima ameno da região serrana do Rio de Janeiro encantou Dom Pedro II, que instalou um belo refúgio de verão na cidade. Hoje, ele atende pelo nome de Museu Imperial e guarda relíquias do Segundo Reinado. As belas montanhas que cercam o lugar, bem como seu clima sossegado e as inúmeras pousadas de charme, atraem turistas em busca de requinte e boa gastronomia – uma de suas marcas registradas.

6. Paraty, Rio de Janeiro

Fundada em 1667 no entorno da Igreja de Nossa Senhora dos Remédios, a cidade foi um dos importantes pólos econômicos do país graças ao engenho de cana-de-açúcar. Suas ruas de pedras irregulares não intimidam os turistas, que se acumulam para fazer passeios de barco e ver casarios coloniais bem conservados, sobretudo no belíssimo Centro Histórico. É aqui que acontece a FLIP, o evento literário mais importante do Brasil.

7. Olinda, Pernambuco

Fundada em 1535, essa bela cidade já foi considerada a capital do Estado. Seu Centro Histórico, repleto de casinhas bem conservadas do período colonial, é tombado como Patrimônio Cultural da Humanidade desde 1982. Ao caminhar por suas ruas, os visitantes se deparam com belos edifícios antigos – restaurados depois da invasão dos holandeses durante o século 18 e abertos à visitação. Uma de suas grandes atrações é a Igreja do Carmo – a mais antiga igreja carmelita do Brasil. No Carnaval, as ruas ficam tomadas por foliões.

8. Porto Seguro, Bahia

A história conta que foi aqui que a colonização do país se iniciou. Até hoje, suas ruas preservam referências ao descobrimento, que incluem até mesmo as ruínas da primeira igreja e da primeira escola construídas em terras tupiniquins. Muitas de suas antigas construções seguem preservadas, sobretudo na Costa do Descobrimento, que inclui a região de Santa Cruz Cabrália – onde a primeira missa do país teria se realizado. O turismo local é muito movimentado graças às viagens de formatura de adolescentes do Ensino Médio.

9. São Luís, Maranhão

A capital do Estado se difere da maior parte das cidades brasileiras, visto que foi colonizada por franceses. Durante o século 17, navegadores de Cancale e Saint-Mailo se estabeleceram na região e a batizaram com uma singela homenagem ao Rei Luís 13. Na época, a economia era impulsionada pela plantação e exportação de cana-de-açúcar, cacau e tabaco. Hoje, a principal herança desse povo, juntamente com portugueses e holandeses, encontra-se preservada em seu Centro Histórico, com diversas construções que remetem ao passado.

10. São Miguel das Missões, Rio Grande do Sul

A história do sul do país se difere das demais regiões. Até o final do século 19, portugueses não demonstravam grande interesse pelos pampas do Rio Grande – por isso a dificuldade de encontrar registros históricos que antecedem o período. A missão dos jesuítas, que evangelizaram os indígenas, se encontra bem preservada na cidade: as ruínas do sítio arqueológico são tombadas como Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco.

Envie para os amigos Whatsapp Whatsapp Facebook